Privacidade: do celular para a Internet!

Edison Fontes fala sobre o vazamento de fotos que tomou proporções mundiais

A atriz Scarlett Johansson teve diversas fotos suas publicadas na Internet. Até aí nenhuma novidade. O que chamou mais atenção foi o fato de que as fotos mostram a atriz no estado natural de Eva ou em um recatado topless. Uma informação importante e confirmada: as fotos foram tiradas pela própria atriz. Pessoalmente acredito que esta atitude dela própria tirar suas fotos foi o medo de se expor perante um fotógrafo ou fotógrafa. Moça recatada, esta atriz.

A questão tem chamado atenção pelo fato, de que segundo o advogado da atriz, Marty Singer, as fotos foram roubadas do celular (computador) IPhone da atriz. Em relação à autenticidade das fotos o advogado já adiantou a sua veracidade ao declarar: “As fotos mostram nossa cliente tirando fotos de si mesma em sua casa em um estado de nudez ou fazendo topless”. Ele comunicou a diversos sites que as fotos foram roubadas e estes sites que publicaram as mesmas, deveriam tirar do ar, sob pena de serem processados.

Mais um caso que envolve a privacidade das pessoas. Com destaque porque se trata de uma personalidade pública, atriz de cinema e conhecida em muitos países. Suas fotos valem dinheiro. Caso seja verdade a ocorrência de roubo das fotos, esta atitude deve ser condenada por ser um crime. Eu gostaria refletir neste caso alguns pontos para aprendizado.

1 - Cada pessoa deve proteger adequadamente suas informações pessoais. A privacidade começa com a atitude de cada um. Evidentemente, não proteger as informações, não possibilita o direito de alguém roubar esta informação. O fato de não ter um muro, não autoriza qualquer pessoa entrar em uma área restrita. Porém, vivemos em um mundo real onde os criminosos estão em todos os lugares.

2 - Guardar fotos intima em celular não é uma boa conduta de proteção da informação. Mesmo que o celular não seja hackeado, ele pode ser perdido. Neste caso, indiretamente a informação está sendo doada.

3 - Devemos fazer sempre uma avaliação de risco das nossas informações. Este caso da Scarlett se refere às fotos. Mas e as informações que a própria pessoa coloca nas redes sociais? “Estou viajando, fiquei doente, não fui trabalhar, comprei um apartamento novo, ganhei na loteria, entre outas”. Avalie o que você divulga e com quem você divulga. Será que os seus amigos, ou melhor, será que o perfil que você aceitou no Facebook ou Orkut do seu amigo, realmente é deste seu amigo? Criminosos criam perfis falsos, se passam por outras pessoas e têm acesso aos seus comentários.

4 - Analise as notícias. Será que são verdades? Não falo especificamente neste caso, mas com certeza muita personalidade esquecida pelo público e principalmente pelo Show Business, gostaria de voltar ao noticiário, e uma notícia colocando a culpa nos hackers, dá um grande destaque e traz esta personalidade ao noticiário? Por que notícias desse tipo nunca acontecem com fotos da família, de amigos ou do aniversário da sobrinha de três anos? Incrível! Esses hackers advinham onde estão as fotos mais interessantes.

Cuide da sua privacidade. Você deve ser a pessoa mais interessada. A propósito, uma notícia não confirmada, informa que mais de cinco mil profissionais se candidataram para fazer a perícia em corpo presente das fotos com a própria atriz. Para frustração desses dedicados profissionais, o advogado já garantiu a veracidade das fotos.

Edison Fontes - CISM / CISA é profissional de segurança da informação desde 1989. Tem atuado como Security Officer, orientador acadêmico e consultor. É colunista do site IT Web e seu segundo livro “Segurança da Informação: o usuário faz a diferença!” têm por objetivo a conscientização das pessoas e apresenta exemplos reais neste setor.

E-mail: edison@pobox.com.
Publicação: Information Week Brasil.
Enviado em 15/09/2011.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone